Skip to main content
Version: v19 R8 BETA

Arquivo de Log (.journal)

Uma aplicação de uso continuo sempre registra mudanças, adições ou eliminações. Realizar backups ou cópias de segurança regularmente é importante mas lembre que não permite (em caso de problemas) restaurar os dados registrados depois do último backup. Para responder à essa necessidade, 4D oferece agora uma ferramenta específica: o arquivo de log. Este arquivo permite garantir a segurança permanente dos dados do banco de dados. Este arquivo permite garantir a segurança permanente dos dados.

Além disso, 4D trabalha constantemente com dados cache em memória. Qualquer mudança feita para os dados da aplicação são armazenados temporariamente na cache antes de serem escritas no disco rigido. Isso acelera a operação das aplicações; na verdade, acessar a memória é mais rápido que acessar o disco rígido. Se acontecer algo na aplicação antes que armazenagem dos dados na cache possa ser gravada no disco rígido, precisa incluir o arquivo de histórico atual para poder restaurar a aplicação por completo.

Por último, 4D possui funções que analisam os conteúdos do arquivo de histórico, tornando possível reverter as operações realizadas sobre os dados da aplicação. Essa funções estão disponíveis no MSC: veja a página deAnálise de atividade e a página Rollback.

como o arquivo de histórico funciona

O arquivo de histórico gerado por 4D contém uma descrição de todas as operações realizadas nos dados das tbelas registradas no diário, as quais são registradas de forma sequencial. Como padrão, todas as tabelas são registradas, ou seja, incluidas no arquivo de histórico, mas pode desmarcar as tabelas individuais usando a propriedade de tabela Incluir no arquivo de histórico.

Dessa forma, cada operação realizada por um usuário causa duas ações simultâneas: a primeira é no arquivo de dados (a instrução é executada normalmente) e a segunda é no arquivo de histórico ( a descrição da operação é registrada). O arquivo de historial se cria de forma independente, sem perturbar nem ralentar o trabalho do usuário. O arquivo de historial se cria de forma independente, sem perturbar nem ralentar o trabalho do usuário. O arquivo de historial registra os seguintes tipos de ações:

  • Abertura e fechamento de arquivos de dados,
  • Abertura e fechamento de processos (contextos),
  • Adição de registros ou BLOBs,
  • Modificação de registros,
  • Eliminação de registros,
  • Criar ou fechar as transações.

Para saber mais sobre essas ações, consulte a página Análise de atividades do CSM.

4D gerencia o arquivo de historial. Leva em consideração todas as operações que afetam o arquivo de dados por igual, independente das manipulações realizadas pelo usuário, métodos 4D, o motor SQL, os plug-ins, ou um navegador web ou uma aplicação móvel.

A instrução abaixo resume o funcionamento do arquivo de historial:

O arquivo de historial atual se guarda automaticamente com o arquivo de dados atual. Este mecanismo tem duas vantagens distintas:

  • Evitar a saturação do volume de disco onde se armazena o arquivo de historial. Sem uma cópia de segurança, o arquivo de histórico ficaria cada vez maior com o uso, e acabaria utilizando todo o espaço disponível no disco. Para cada cópia de segurnça do arquivo de dados, 4D ou 4D Server fecha o arquivo de histórico atual e imediatamente inicia um novo arquivo vazio, evitando assim o riesco de saturação. A continuação, o arquivo de historial antigo se arquiva e, finalmente, se destrói em função do mecanismo de gestão dos conjuntos de cópias de seguriança.
  • Conservar os arquivos de historial correspondentes às copias de segurança para poder analisar o reparar uma aplicação em um momento posterior. A integração de um arquivo de historial só pode ser feita na aplicação à que corresponde. Para poder integrar corretamente um arquivo de historial em uma cópia de segurança, é importante que as cópias de segurança e os arquivos de historial se arquivem simultaneamente.

Criar o arquivo de histórico

Como padrão, toda aplicação criada com 4D utiliza um arquivo de histórico (opção definida na página Geral das Preferências). O arquivo de histórico é chamado data.journal e está na pasta Data.

Pode averiguar se sua aplicação utiliza um arquivo de histórico a qualquer momento: só precisa comprovar se a opção Utilizar o arquivo de histórico estiver selecionada na página Backup/Configuración das Propriedades do banco. Se desmarcar essa opção, ou se usar uma aplicação sem arquivo de histórico, e quiser estabelecer uma estratégia de backup com um arquivo de histórico, vai precisar criar um.

Para criar um arquivo de histórico:

  1. Na página Cópia de segurança/Configuração das Propriedades do banco de dados, marque a opção Utilizar o arquivo de histórico. O programa exibe um caixa de diálogo abrir/novo arquivo. Como padrão, o nome arquivo é chamado data.journal.

  2. Mantém o nome padrão ou renomeia, e daí seleciona o local do arquivo. Se tiver pelo menos dois discos rígidos, é recomendado que coloque o arquivo de histórico no disco que não tenha seu projeto aplicação. Se o disco rígido da apllicação for perdido pode recuperar o arquivo de histórico.

  3. Clique Salvar. O disco e o nome do arquivo de histórico aberto agora estão exibidos na área Use Log da caixa de diálogo. Pode clicar nessa área para exibir um menu pop-up contendo a rota de histórico no disco.

  4. Valide a caixa de diálogo das Propriedades.

Para poder criar um arquivo de histórico diretamente, os dados devem estar em uma das situações abaixo:

  • O arquivo de dados está em branco,
  • Acaba de realizar uma cópia de segurança e ainda não foram realizadas mudanças nos dados.

Em todos os outros casos, quando validar a caixa de diálogo Propriedades, um diálogo de alerta informará que é necessário fazer um backup. Se clicar em Aceitar, a cópia de segurança começa imediatamente, e depois se ativa o arquivo de histórico. Se clicar em Cancelar, a solicitação é salva mas a criação do arquivo de histórico é adiada e só criará depois da próxima cópia de segurança do banco de dados. Essa precaução é indispensável porque, para restaurar o banco de dados depois de um incidente, é preciso uma cópia do banco de dados na qual se integrarão às operações registradas no arquivo de histórico.

Sem ter que fazer nada a mais, todas as operações realizadas sobre os dados são registradas nesse arquivo, e são usadas no futuro quando abrir o banco de dados.

Precisa criar outro arquivo de histórico se criar um novo arquivo de dados. Precisa estabelecer ou criar outro arquivo de shitórico se abrir outro arquivo de dados que não estiver linnkado a um arquivo de histórico (ou se o arquivo de histórico estiver faltando).

Parar um arquivo de histórico

Se quiser parar as operações de registro no arquivo de histórico atual, apenas desmarque a opção Use Log|Usar o arquivo de histórico na página Backup/Configuration das Propriedades do banco de dados.

4D então exibe uma mensagem de alerta para avisar que a ação evita de aproveitar as vantagens de segurança de ter um arquivo de histórico:

Se clicar Stop, o arquivo de histórico é imediatamente fechado (a caixa de diálogo Propriedades do banco de dados não precisa ser validada depois).

Se quiser fechar o arquivo de histórico atual porque é muito grande, pode considerar realizar um backup de arquivo de dados, o que vai fazer com que também se crie uma cópia de segurança do arquivo de histórico

4D Server: O comando New log file fecha automaticamente o arquivo de histórico atual e começa um novo. Se por alguma razão o arquivo de histórico ficar indisponível durante uma sessão de trabalho, o erro 1274 é gerado e o servidor 4D não permimte que o usuários escrevam mais dados. Quando o arquivo de histórico estiver disponível novamente, é preciso fazer um backup.