Skip to main content
Version: v19 R8 BETA

Parâmetros

Frequentemente será preciso passar dados para seus métodos e funções. Isso é facilmente feito com parâmetros.

Visão Geral

Os parâmetros (ou argumentos) são peças de dados que um método ou uma função de classe necessita para realizar sua tarefa. Os termos parámetros e argumentos são utilizados indiferentemente neste manual. Parâmetros também são passados para comandos integrados 4D. Neste exemplo, a stirng "Hello" é um argumento para o comando integrado ALERT:

ALERT("Hello")

Os parâmetros são passados aos métodos ou funções de classe da mesma maneira. Por exemplo, se uma função de classe chamada getArea() aceita dois parâmetros, uma chamada à função de classe poderia ver-se assim:

$area:=$o.getArea(50;100)

Ou, se um método projeto chamado DO_SOMETHING aceitar três parâmetros, uma chamada ao método poderia ter a seguinte forma:

DO_SOMETHING($WithThis;$AndThat;$ThisWay)

Os parâmetros input estão separados por ponto e vírgula (;).

Os mesmos princípios são usados quando métodos forem executados através de comandos dedicados, por exemplo:

EXECUTE METHOD IN SUBFORM("Cal2";"SetCalendarDate";*;!05/05/20!)  
//pass the !05/05/20!
//passe a data !05/05/20! como parâmetro del SetCalendarDate
// no contexto de um subformulário

Dados também podem ser devolvidosdesde métodos e funções de classe. Por exemplo, a linha abaixo é uma sentença que usa o comando integrado, Length, para devolver a longitude de uma string. As instruções põe o valor devolvido por Length em uma variável chamada MyLength. Esta é a instrução:

MyLength:=Length("How did I get here?")

Qualquer subrotina pode retornar um valor. Só se pode declarar um único parámetro de saída por método ou função de classe.

Os valores de entrada e saida são avaliados no momento da chamada e copiados em variáveis locais dentro da função ou método da classe chamada. Duas sintaxes são propostas para declarar os parâmetros das variáveis no codigo chamado:

Tanto a sintaxe named como seqüencial podem ser misturadas sem restrições para declarar parâmetros. Por exemplo:

Function add($x : Integer)
var $0;$2 : Integer
$0:=$x+$2

Parâmetros com nomes

Dentro de métodos ou funções de classe chamados, valores parâmetros são atribuidos à variáveis locais. Pode declarar parâmetros usando um nome de parâmetro junto com um tipo de parâmetro, separado por vírgula.

  • Para as funções de classe, os parâmetros se declaram junto com a palavra chave Function.
  • Para os métodos (métodos projeto, métodos objeto formulario, métodos base e triggers), os parâmetros se declaram utilizando a palavra chave #DECLARE ao principio do código do método.

Exemplos:

Function getArea($width : Integer; $height : Integer) -> $area : Integer
 //myProjectMethod
#DECLARE ($i : Integer) -> $myResult : Object

As regras abaixo são válidas:

  • A linha de declaração deve ser a primeira linha do método ou código da função, senão um erro é exibido (só comentários ou quebras de linha podem preceder a declaração).
  • Os nomes dos parâmetros devem começar com um caractere $ e cumprir com as regras de denominação das propriedades.
  • Multiple parameters (and types) are separated by semicolons (;).
  • Sintaxes multilinha são aceitas (usando "\").

Por exemplo, pode chamar uma função getArea() com dois parâmetros:

$area:=$o.getArea(50;100)

No código da função classe, o valor de cada parâmetro se copia no parâmetro declarado correspondente:

// Class: Polygon Function getArea($width : Integer; $height : Integer)-> $area : Integer
$area:=$width*$height

Se o tipo não for definido, o parâmetro será definido como Variant.

Todos os métodos 4D são compatíveis com a palavra chave #DECLARE incluindo os métodos de banco de dados. Por exemplo, no método de database On Web Authentication pode declarar parâmetros nomeados:

    // On Web Authentication database method
#DECLARE ($url : Text; $header : Text; \
$BrowserIP : Text; $ServerIP : Text; \
$user : Text; $password : Text) \
-> $RequestAccepted : Boolean
$entitySelection:=ds. User.query("login=:1"; $user)
// Check hash password...

Valor retornado

Pode declarar o parâmetro retornado de uma função adicionado uma flecha (->) e a definição de parâmetro depois da lista de parâmetros de input. Por exemplo:

Function add($x : Variant; $y : Integer) -> $result : Integer

Também pode declarar o parâmetro de retorno só adicionando : tipo, em cujo caso pode ser manejado mediante uma instrução de retorno ou através de $0 na sintaxe sequencial). Por exemplo:

Function add($x : Variant; $y : Integer): Integer
$0:=$x+$y

Tipos de datos compatíveis

Com parâmetros nomeados, pode usar os mesmos tipos dados que aqueles que são compatíveis com var keyword, incluindo objetos classe. Por exemplo:

Function saveToFile($entity : cs. ShapesEntity; $file : 4D. File)

Parámetros sequenciais

Como uma alternativa a sintaxe named parameters, pode declarar parâmetros usando variáveis numeradas: $1, $2, $3, e assim por diante. A numeração das variáveis locais representam a ordem dos parâmetros.

Apesar dessa sintaxe ser compatível com funções de classe, é recomendado usar a sintaxe named parameters neste caso.

Por exemplo quando chamar um método de projeto DO_SOMETHING com três parâmetros:

DO_SOMETHING($WithThis;$AndThat;$ThisWay)

No código método, o valor de cada parâmetro é automaticamente copiado em variáveis $1, $2, $3:

  //Código do método DO_SOMETHING
//Assume que todos os parâmetros são do tipo texto
C_TEXT($1;$2;$3)
ALERT("I received "+$1+" and "+$2+" and also "+$3)
//$1 contém o parâmetro $WithThis
//$2 contém o parâmetro $AndThat
//$3 contém o parâmetro $ThisWay

Valor retornado

O valor a devolver é posto na variável local $0.

Por exemplo, a função abaixo, chamada Uppercase4, devolve uma string com os quatro primeiros caracteres da string que foram passados em maiúsculas:

$0:=Uppercase(Substring($1;1;4))+Substring($1;5)

Abaixo está um exemplo que utiliza o método Uppercase4:

$NewPhrase:=Uppercase4("This is good.")

Neste exemplo, a variável $NewPhrase recebe “THIS is good.”

O resultado do valor, $0, é uma variável local dentro da subrotina. Pode ser usado como tal dentro da subrotina. Por exemplo, pode escrever:

// Do_something
$0:=Uppercase($1)
ALERT($0)

Neste exemplo, $0 é atribuído primeiro o valor de $1, e depois usado como parâmetro do comando ALERT. Dentro de la subrotina, pode utilizar $0 da mesma maneira que utilizaria qualquer outra variável local. É 4D quem devolve o valor de $0 (como estiver quando a subrotina terminar) ao método chamado.

Tipos de datos compatíveis

Pode utilizar toda expressão como parâmetro, exceto:

  • tabelas
  • arrays

As expressões de tabelas ou arrays só podem ser passadas como referência utilizando um ponteiro.

return {expression}

Histórico
VersãoMudanças
v19 R4Adicionado

A declaração return finaliza a execução de uma função ou de um método e pode ser utilizado para devolver uma expressão a quem chamar.

Por exemplo, a seguinte função devolve o quadrado de seu argumento, $x, onde $x é um número.

Function square($x : Integer) 
return $x * $x

Internamente, return x executa $0:=x ou (if declared) myReturnValue:=x, e retorna ao chamante. Se return for usado sem uma expressão, a função ou método retorna um valor null do tipo retornado declarado (se houver), senão undefined.

A declaração return pode ser usado com a sintaxe padrão para valores retornados (o valor retornado deve ser do tipo declarado). Entretanto lembre que isso finaliza imediatamente a execução de código. Por exemplo:

Function getValue
$0:=10
return 20
// returns 20 Function getValue -> $v : Integer
return 10
$v:=20 // never executed
// returns 10

Indireção dos parâmetros (${N})

Métodos de projeto 4D aceita um número de variáveis de parâmetros. Pode abordar esses parâmetros com um For...End for loop, o comando parâmetros de contagem e o parâmetro sintaxe de indireção. Dentro do método, um endereço de indireção é formatado ${N}, onde N é uma expressão numérica. ${N} se denomina un parâmetro genérico.

Usar parâmetros genéricos

Por exemplo, considere uma função que some os valores e devolva a soma formatada segundo um formato que se passa como parâmetro. Cada vez que chamar a esse método, o número de valores a somar pode variar. Devemos passar os valores como parâmetros ao método e o formato em forma de string dos caracteres. O número de valores pode variar de chamada a chamada.

Aqui está um método, chamada MySum:

 #DECLARE($format : Text) -> $result : Text
$sum:=0
For($i;2;Count parameters)
$sum:=$sum+${$i}
End for
$result:=String($sum;$format)

Os parâmetros do método devem ser passados na ordem correta: primeiro o formato e depois os valores:

 Result:=MySum("##0.00";125,2;33,5;24) //"182.70"
Result:=MySum("000";1;2;200) //"203"

Note que mesmo se declarar 0, 1 ou mais parâmetros no metodo, pode sempre passar o número de parâmetros que quiser. Os parâmetros todos disponiveisss dentro do metodo de chamada atraves da sintaxe ${N} e tipo parâmetro extra Variant como padrão (pode declarar usando compiler directive). Basta ter a certeza de que os parâmetros existem, graças ao comando Count parameters . Por exemplo:

//foo method
#DECLARE($p1: Text;$p2 : Text; $p3 : Date) For($i;1;Count parameters)
ALERT("param "+String($i)+" = "+String(${$i}))
End for

Este método pode sr chamado:

foo("hello";"world";!01/01/2021!;42;?12:00:00?) //extra parameters are passed //extra parameters are passed

A indireção de parâmetros se gerencia melhor se respeitar a convenção abaixo: se só alguns dos parâmetros forem endereçados por indireção, devem ser passados depois dos outros.

Declaração de parâmetros genéricos

Da mesma forma que com outras variáveis locais, não é obrigatório declarar os parâmetros genéricos mediante uma diretiva de compilador. Entretanto é recomendado que se evite qualquer ambiguidade. Os parâmetros genéricos não declarados obtêm automaticamente o tipo Variante .

Para declarar parâmetros genéricos, se utiliza uma diretriz do compilador à qual se passa ${N} como parâmetro, onde N especifica o primeiro parâmetro genérico.

 C_TEXT(${4})

A declaração de parámetros genéricos só pode ser feita com a sintaxe sequencial.

Esse comando significa que a partir do quarto parâmetro (incluído), o método pode receber um número variável de parâmetros de tipo texto $1, $2 e $3 podem ser de qualquer tipo de dados. Entretanto, se usar $2 por indireção, o tipo de dados usados será do tipo genérico. $1, $2 e $3 podem ser de qualquer tipo de dados.

O número na declaração tem que ser uma constante e não uma variável.

Declaração dos parâmetros para o modo compilado

Mesmo não sendo obrigatório em modo interpretado, deve declarar cada parâmetro nos métodos chamados ou funções para evitar problemas.

Quando se utiliza la sintaxe de variáveis nomeadas, os parámetros se declaram automáticamente através da palavra chave #DECLARE ou o prototipo Function. Por exemplo:

Função add($x : Variante; $y : Integer)-> $result : Integer
// todos os parâmetros são declarados com o seu tipo

Quando usar sintaxe de variável sequencial, precisa ter certeza que todos os parâmetros foram declarados. No exemplo abaixo, o método projeto Capitalize aceita um parâmetro texto e devolve um resultado texto:

  // Método projeto Maiúsculas
// Maiúsculas( Texto ) -> Texto
// Maiúsculas( Cadena fuente ) -> String com a primeira letra em maiúscula

C_TEXT($0;$1)
$0:=Uppercase(Substring($1;1;1))+Lowercase(Substring($1;2))

A utilização de comandos tais como New process com métodos processo que aceitem parâmetros também requer que os parâmetros se declarem explicitamente no método chamado. Por exemplo:

C_TEXT($string)
C_LONGINT($idProc;$int)
C_OBJECT($obj)

$idProc:=New process("foo_method";0;"foo_process";$string;$int;$obj)

Este código pode ser executado em modo compilado só se "foo_method" declarar seus parâmetros:

//foo_method C_TEXT($1)
C_LONGINT($2)
C_OBJECT($3)
...

em modo compilado, pode agrupar todos os parámetros das variáveis locais dos métodos projeto em um método específico com um nome que comece por "Compiler". Dentro deste método, pode pré-declarar os parâmetros de cada método, por exemplo:

 // Compiler_method
C_REAL(OneMethodAmongOthers;$1)

Ver a página Modos interpretado e compilado para mais informação.

A declaração de parâmetros também é obrigatóiria nos contextos abaixo (esses contextos não são compatíveis com declarações em um método "Compiler"):

  • Métodos de banco de dados Por exemplo, o método banco On Web Connection Database Method recebe seis parâmetros, de $1 a $6, del tipo Texto. No começo do método database, tem que escrever (mesmo se todos os parâmetros não forem usados):
// On Web Connection C_TEXT($1;$2;$3;$4;$5;$6)

Pode usar parametros nomeados com a palavra chave #DECLARE.

  • Triggers O parâmetro $0 (Inteiro longo), que é o resultado de um trigger, será digitado pelo compilador se o parâmetro não tiver sido declarado explicitamente. Entretanto, se quiser declará-lo, deve fazer isso no próprio trigger.

  • Objetos formulário que aceitam o evento formulário On Drag Over O parâmetro $0 (Inteiro longo), que é o resultado do evento formulário On Drag Over, será digitado pelo compilador se o parâmetro não tiver sido declarado explícita mente. Entretanto, se quiser fazer a declaração, deve fazer isso no método objeto. Nota: o compilador não inicializa o parâmetro $0. Portanto, logo que utilizar o evento formulário On Drag Over, deve inicializar $0. Por exemplo:

 C_LONGINT($0)
If(Form event=On Drag Over)
$0:=0
...
If($DataType=Is picture)
$0:=-1
End if
...
End if

Tipo de parámetro equivocado

Chamar a um parámetro com um tipo incorreto é um erro que impede a correta execução. Por exemplo se executar os métodos

// method1
#DECLARE($value : Text)
// method2
method1(42) //tipo incorrecto, texto esperado

Este caso es tratado por 4D dependendo do contexto:

  • emprojetos compilados, se gera um erro no passo de compilação sempre que seja possível. Senão, um erro é gerado quando o método for chamado.
  • em projetos interpretados:
    • se o parámetro se declarou utilizando la sintaxe nomeada (#DECLARE ou Function), se gera um erro quando se chama ao método.
    • Se o parâmetro for declarado usando a sintaxe sequencial (C_XXX), nenhum erro é gerado, o método chamado recebe um valor vazio no tipo esperado.

Variáveis input output

Dentro da subrotina, pode utilizar os parâmetros $1, $2... da mesma maneira que utilizaria qualquer outra variável local. Entretanto, no caso de usar comandos que modifiquem o valor da variável passada como parâmetro (por exemplo Find in field), os parâmetros $1, $2, etc. não podem ser utilizardos diretamente. Primeiro deve copiá-los nas variáveis locais padrão (por exemplo: $myvar:=$1).

Usando propriedades objeto como parâmetros nomeados

A utilização de objetos como parâmetros permite manejar parâmetros com nome. Este estilo de programação é simples, flexível e fácil de ler.

Por exemplo, utilizando o método CreatePerson:

  //CreatePerson
var $person : Object
$person:=New object("Name";"Smith";"Age";40)
ChangeAge($person)
ALERT(String($person.

No método ChangeAge pode escrever:

  //ChangeAge
var $1; $para : Object
$para:=$1
$para.Age:=$para.Age+10
ALERT($para.Name+" is "+String($para.Age)+" years old.")

Isso oferece uma poderosa maneira de definir parâmetros opcionais (ver também abaixo). Para manejar os parâmetros que faltam, pode:

  • veja se todos os parâmetros esperados são fornecidos comparando-os com o valor Null, ou
  • pré-definir os valores dos parâmetros, ou
  • usá-los como valores vazios.

No método ChangeAge anterior, as propriedades Age e Name são obrigatórias e produzirão erross se faltarão. Para evitar isso, pode escrever:

  //ChangeAge
var $1; $para : Object
$para:=$1
$para. Age:=Num($para. Age)+10
ALERT(String($para. Name)+" is "+String($para. Age)+" years old.")

Ambos parâmetros são opcionais: se não forem preenchidos, o resultado será "é 10 anos de idade", mas nenhum erro será gerado.

Finalmente, com parâmetros com nome, a manutenção ou a reprodução das aplicações é muito simples e seguro. Imagine que depois perceba de que adicionar 10 anos não funciona sempre. You need another parameter to set how many years to add. You write: Escreva:

$person:=New object("Name";"Smith";"Age";40;"toAdd";10)
ChangeAge($person)

//ChangeAge
var $1;$para : Object
$para:=$1 If ($para.toAdd=Null)
$para.toAdd:=10 End if
$para. Age:=Num($para. Age)+$para.toAdd ALERT(String($para. Name)+" is "+String($para.

Não precisará mudar seu código existente. Sempre funcionará como na versão anterior, mas se for necessário, é possível usar outro valor diferente de 10 anos.

Com variáveis com nome, qualquer parâmetro pode ser opcional. No exemplo acima, todos os parâmetros são opcionais e qualquer pode ser dado em qualquer ordem.

Parâmetros opcionais

No manual Linguagem de 4D, os caracteres { } (chaves) indicam parâmetros opcionais. Por exemplo, ALERT (message{; okButtonTitle}) significa que o parâmetro okButtonTitle pode omitir o chamado ao comando. Pode fazer a chamada de duas maneiras:

ALERT("Are you sure?";"Yes I am") //2 parameters ALERT("Time is over") //1 parameter

Os métodos e funções 4D também aceitam tais parâmetros opcionais. Pode declarar qualquer número de parâmetros. Se chamar um método ou função com parâmetros menos que declarados, parametros faltantes são processados como valores padrão no modo chamado, de acordo com seu tipo. Por exemplo:

// "concate" function of myClass Function concate ($param1 : Text ; $param2 : Text)->$result : Text
$result:=$param1+" "+$param2
  // Calling method
$class:=cs.myClass.new()
$class.concate("Hello") // "Hello "
$class.concate() // Displays " "

Também se pode chamar um método ou função com mais parâmetros do que os declarados. Estará disponível dentro do código chamado atraves da ${N} sintaxe.

Utilizando o comando Count parameters desde dentro do método chamado, pode detectar o número real de parâmetros e realizar diferentes operações dependendo do que tenha recebido.

O exemplo abaixo mostra uma mensagem de texto e pode inserir o texto em um documento no disco ou em uma área de 4D Write Pro:

// APPEND TEXT Project Method
// APPEND TEXT ( Text { ; Text { ; Object } } )
// APPEND TEXT ( Message { ; Path { ; 4DWPArea } } )

Method($message : Text; $path : Text; $wpArea : Object)

ALERT($message)
If(Count parameters>=3)
WP SET TEXT($wpArea;$1;wk append)
Else
If(Count parameters>=2)
TEXT TO DOCUMENT($path;$message)
End if
End if

Depois de adicionar este método projeto a sua aplicação, pode escrever:

APPEND TEXT(vtSomeText) //Will only display the  message APPEND TEXT(vtSomeText;$path) //Displays text message and appends it to document at $path APPEND TEXT(vtSomeText;"";$wpArea) //Displays text message and writes it to $wpArea

Quando os parâmetros opcionais forem necessários em seus métodos, também pode considerar o uso de propriedades objetos parâmetros com nome que oferecem uma forma flexível de manejar um número variável de parâmetros.

Valores ou referências

Quando passar um parâmetro, 4D sempre avalia a expressão do parâmetro no contexto do método que chama e define o valor resultante nas variáveis locais $1, $... da subrotina ou função classe As variáveis locais/parâmetros não são os campos, variáveis ou expressões realmente passadas pelo método chamada; eles apenas contém os valores que foram passados. As variáveis locais/parâmetros não são os campos, variáveis ou expressões realmente passadas pelo método chamada; eles apenas contém os valores que foram passados. Por exemplo:

    //Here is some code from the method MY_METHOD DO_SOMETHING([People]Name) //Let's say [People]Name value is "williams" ALERT([People]Name)

//Here is the code of the method DO_SOMETHING
$1:=Uppercase($1)
ALERT($1)

A caixa de alerta mostrada por DO_SOMETHING dirá "WILLIAMS" e a caixa de alerta mostrada por MY_METHOD dirá "williams". O método mudou localmente o valor do parâmetro $1, ma isso não afeta o valor de campo [People]Name passado como parâmetro pelo método MY_METHOD.

Há duas formas de fazer com que o método DO_SOMETHING mude o valor de campo:

  1. Ao invés de passar o campo para o método, passa um ponteiro para ele, por isso pode escrever:
  //Esta é uma parte do código do método MY_METHOD
DO_SOMETHING(->[People]Name) //Suponha que o valor de [People]Name value seja "williams"
ALERT([People]Last Name)

//Este é o código do método DO_SOMETHING
$1->:=Uppercase($1->)
ALERT($1->)

Aqui é o parâmetro não for o campo, mas sim um ponteiro ao mesmo. Portanto, dentro do método DO SOMETHING, $1 já não é o valor do campo mas um ponteiro ao campo. O objeto referenciado por $1 ($1-> no código anterior) é o campo real. Portanto, mudar o objeto referenciado vai além do escopo da subrotina, e o campo real não é afetado. Neste exemplo, as duas caixas de alerta dirão "WILLIAMS".

  1. Ao invés de ter o método DO_SOMETHING "faça algo", pode reescrever o método para que devolva um valor. Portanto escreveria:
    //Esta é uma parte do código do método MY_METHO
[People]Name:=DO_SOMETHING([People]Name) //Suponha que o valor de [People]Name seja "williams"
ALERT([People]Name)

//Este é o código do método DO_SOMETHING
$0:=Uppercase($1)
ALERT($0)

Esta segunda técnica de retornar um valor por uma subrotina se chama " utilizar uma função" É descrita no parágrafo Funções. Esta segunda técnica de retornar um valor por uma subrotina se chama " utilizar uma função" É descrita no parágrafo Funções.

Casos particulares: objetos e coleções

Deve prestar atenção ao fato de que os tipos de dados Objeto e Coleção só podem ser manejados através de uma referência (ou seja, um ponteiro interno).

Por isso, quando usar esses tipos de dados como parâmetros, $1, $2... não contém valores mas sim referências. A modificação do valor dos parâmetros $1, $2... dentro da subrotina se propagará a qualquer lugar onde se utilize o objeto ou coleção fonte. Este é o mesmo principio que os ponteiros, exceto que os parâmetros $1, $2... não necessitam ser desreferenciados na subrotina.

Por exemplo, considere o método CreatePerson que cria um objeto e o envia como parâmetro:

  //CreatePerson
var $person : Object
$person:=New object("Name";"Smith";"Age";40)
ChangeAge($person)
ALERT(String($person.

O método ChangeAge adiciona 10 ao atributo Age do objeto recebido

  //ChangeAge
#DECLARE ($person : Object)
$person. Age:=$person. Age+10
ALERT(String($person.

Quando executar o método CreatePerson, as duas caixas de alerta dirão "50" já que a mesma referência de objeto é manejada por ambos métodos.

4D Server: quando são passados parâmetros entre métodos que não são executados na mesma máquina (utilizando por exemplo a opção "Executar no servidor"), as referencias não são utilizáveis. Nestes casos, são enviadas cópias dos parâmetros de objetos e coleções ao invés de referências.